paying tribute

PRESTAR HOMENAGEM

Como encontrar uma [moto] Harley-Davidson® mudou a minha vida.

História e fotografia  «beach» de Peter Mark (retirado do seu blog CBC.ca) | Fotografias adicionais de Brent Cooke

Por esta altura provavelmente já ouviu falar sobre a moto Harley-Davidson® que deu à costa numa praia do Canadá, meses após o devastador tsunami que atingiu o Japão em 2011. Esta história comoveu inúmeras pessoas – e a moto está agora em exposição no Museu Harley-Davidson® em Milwaukee. Mas ninguém foi mais afetado do que o homem que a encontrou. Os seguintes excertos pertencem a um blog, publicado na CBC.ca, que pertence a Peter Mark, o homem que descobriu a moto na costa da Colúmbia Britânica, próximo das ilhas de Haida Gwaii.

O contentor deu à costa numa praia remota a aproximadamente 50 quilómetros a sul de Rose Spit. Quando cheguei ao local fiquei em choque. Consegui ver a moto ainda a uma certa distância, mas foi apenas quando me aproximei que consegui ler a chapa de matrícula, um pedaço de metal amolgado, incrustado com algas e com caracteres japoneses. Sabíamos que os detritos do tsunami iriam atingir a costa, mas não estava à espera de encontrar algo desta dimensão em tão pouco tempo, muito menos uma [moto] Harley-Davidson®!

A primeira coisa que me veio ao pensamento foi: "O quê?!" Apercebi-me de que era algo que poderia estar no meu quintal, algo que poderia pertencer a um dos meus vizinhos. Estes eram os pertences de alguém. Alguém que poderia ter perdido tudo, inclusive a sua vida.

A unidade possuía esferovite espesso sob o exterior em fibra de vidro, o que permitiu que esta flutuasse. Como a moto e os outros itens se mantiveram no contentor durante toda a travessia do Pacífico permanece um mistério para mim. A moto não estava presa e a porta do contentor tinha sido arrancada. Quando voltei a casa vindo da praia, contei a vários dos meus amigos e companheiros perscrutadores de praias sobre a minha descoberta. A notícia espalhou-se rapidamente. Não tardou muito para que a CBC entrasse em contacto comigo e acordamos que lhes iria fornecer o número VIN e fotografias da chapa de matrícula, de forma a que conseguissem confirmar a origem da moto antes de publicar a história. Imediatamente, ligaram-me de volta. Fui informado de que a placa estava registada na província de Miyagi, uma das áreas mais atingidas pelo tsunami.

A CBC noticiou a história na noite de 29 de abril. Eu não estava preparado para toda a atenção que esta história acabou por receber. Imediatamente, Ralph Tieleman, da ilha de Vancouver, entrou em contato comigo e perguntou se conseguiria recuperar a moto. Não tinha sequer pensado nisso, dado o mau estado da moto. Não considerei que seria possível fazer algo prático com ela. Acreditei que a moto iria ficar na praia, como uma homenagem ao tsunami de Tōhoku. Ralph ofereceu-se para, com a ajuda de amigos, restaurar a moto e devolvê-la ao seu dono, se fosse possível localizá-lo. Sabíamos que este seria um projeto dispendioso. A moto estava praticamente destruída. Seria necessário desmontar a moto completamente até ao quadro e recomeçar do zero. Aceitei o desafio e, no dia seguinte, com a ajuda dos meus amigos, conseguimos recuperar a moto.

Durante os dias que se seguiram, realizei entrevistas com quatro ou cinco das principais agências noticiosas na América do Norte e cinco no Japão! Ao fim do dia de 30 de abril, um correspondente japonês, sediado na Califórnia, contactou-me com boas notícias: o proprietário da moto, Ikuo Yokoyama, estava vivo!

Ikuo perdeu três familiares, incluindo o seu pai e irmão. A sua casa, o contentor no seu quintal que utilizava como garagem para a sua moto e tudo o que possuía foram destruídos pela onda devastadora. Fiquei muito feliz por saber que Ikuo estava vivo, mas assoberbado pelo pensamento esmagador de que tantos outros não estavam. Ikuo, como milhares de outras pessoas, está atualmente a viver em alojamento temporário. O correspondente da CBC encaminhou-me uma entrevista em vídeo online da NHK com Ikuo. Ele estava a observar as fotografias que eu tinha tirado à moto. Este manifestou como se sentia feliz por esta ter sido encontrada e haver planos para que lhe fosse devolvida. "É um milagre!", exclamou. Ele também me queria agradecer.

Foi neste momento que a Harley-Davidson® [Motor Company] interveio. Ouviram o que Steve Drane e Ralph Tieleman estavam a planear fazer e decidiram financiar a restauração. Estes entraram em contacto com o Sr. Yokoyama e falaram-lhe sobre a restauração planeada. Apesar do desejo de voltar a ver a sua moto perdida, Ikuo recusou a oferta. Este admitiu que não era financeiramente capaz de manter a moto, nem tinha espaço onde a armazenar no seu abrigo temporário. Pensava que não era justo investir tanto dinheiro na sua moto quando havia tantas pessoas que não tinham nada. Colocar as necessidades dos outros e da sua comunidade acima das suas próprias expectativas e desejos foi uma postura muito digna da parte de Ikuo. Assim, a Harley-Davidson ofereceu-se para, em vez disso, doar o dinheiro que teria sido investido no conserto e na devolução da moto a um fundo de solidariedade para as vítimas do tsunami em nome de Ikuo. A Harley-Davidson, Steve Drane e Ralph Tieleman devem ser felicitados por mostrarem que estavam à altura do desafio e por terem feito o que está certo.